Pages - Menu

17 de nov de 2010

Concurso de Poesia - Integral - Participação da Marketeiros

No último dia 12/11(sexta-feira) o Colégio Integral apresentou na Casa da Cultura de Bragança Paulista o famoso Sarau que todos os anos reúne apresentações artísticas de vários gêneros envolvendo alunos e comunidade em geral.

Neste ano, as categorias de Fotografia, Pintura e Poesia eram abertas ao público enquanto as demais ficaram restritas para a participação de alunos.
Nós da Marketeiros que adoramos todo o tipo de arte também participamos do Sarau do Integral, a Simone e eu(Robson) nos inscrevemos no concurso de poesia e cada um compôs seu trabalho individualmente envolvendo o tema "Romantismos".

Nenhum de nós ganhou em primeiro lugar(a Simone ficou em sétimo lugar e eu em quinto) mas é claro que a idéia era participar e se envolver de alguma forma com esse evento que trouxe tantas formas de expressões artísticas.

Seguem agora as nossas poesias que foram para o concurso do Sarau,
A primeira é a da Simone e a segunda minha.


LUA SEGREDO
(Frida)

Entre as nuvens está ela
Radiante a ele zela
Como pintada numa tela
Meu desejo é quem pincela

Do outro lado da cidade
Vê na lua ansiedade
Eu na lua afinidade
Paixão na dualidade

Cedo a lua, majestade
Cedo à austera trindade
Amor, desejo, divindade
Procedendo em unidade

Ele vê na lua medo
Vendo a lua retrocedo
Temos na lua um segredo
Como cúmplice concedo

Tenho na lua amizade
Em naus a voluptuosidade
Apesar da tempestade
Quero a lua intimidade

Quer a lua lealdade
Eu a lua liberdade
Sou a lua vontade
Ele a lua saudade.

---------------------------------------------------------------------------


Aurora em Silêncio
(Robson Helton)

É preciso ter calma,
Uma estranha paciência que surge dos internos fluxos oníricos,
Relações pungentes entre sentimentos e abismos.
Insanidade lúcida e liberdade restrita.

Ponderando em voz alta enfim descobrimos,
que somos sempre escravos de nós mesmos.
E nas profundas prisões do finito, ousamos ser eternos.
Amor como atralho e labirinto.

Não é mais visto o vento que rasgava a atmosfera dos olhares,
Nem é cultuada a brisa rasante que surge no brilho das vidas.
Um breve suspiro e um soluço contido.
A contração dos sentidos imersos em vozes.

Falsos fascínios nos corpos inertes.
Procuramos saída entre os caminhos pérfidos.
Mas se o interior não está morto,
sonhará porto por perto.

Anoiteça o que anoitecer,
Coração aberto.


2 comentários:

  1. Não foi dessa vez né Robson... MAS TE DESAFIO NOVAMENTE ANO QUE VEM e da próxima vez não serei clemente.... (rs aquelas q não sabem perder...)

    ResponderExcluir
  2. Devo lembrar, que meu bebê Raquel de 9 anos também participou. Apresentou uma tela com o mesmo tema e entitulou: ROCK´UPIDO - Trata-se de uma guitarra com asas, aureola, arco e flecha, além do que o corpo da guitarra tem um por do sol. Ah uma paleta presa entre as cordas em forma de coração. Um luxo só. Como não houve segundo lugar ela recebeu Mensão Honrosa. Quando recebermos o quadro de volta, jogo uma foto aqui. Orgulhosa eu?

    ResponderExcluir