Pages - Menu

17 de out de 2010

Livro Eletrônico no banco dos réus


No geral as escolas fazem crianças ter seus primeiros contatos marcantes com a leitura. Podem ser experiências boas ou ruins. Lamentavelmente a abordagem não é a mais eficiente, concordando com o autor frances Pierre Bayard, que diz que se o contato com o livro for mais "relaxado" e flexível dando possibilidades de escolhas por parte dos alunos, pode ter melhores resultados. Acredito nisso.
Essa semana durante um mini happy hour da equipe dos Marketeiros, discutimos sobre livros eletrônicos e suas muitas vantagens sobre os livros tradicionais, e as desvantagens que demonstram que um não anula a necessidade da existência do outro.
Na opinião do escritor Pedro Bandeira, a TV e outras formas de tecnologia nunca tomou o espaço da leitura, e ainda facultaram às pessoas a capacidade de imaginar mais, por meio do conhecimento difundido facilmente e isso enriqueceu o aproveitamento e a experiência de ler.
A experiência tátil, visual e até olfativa do livro impresso, e o isolamento que ele nos proporciona, para abstração e imaginação, em minha opinião é superior e mais rica que em outros meios. No filminho do Espaço Aberto comenta-se sobre o tamanho das letras, é uma das grandes vantagens do livro digital. Um escritor de ficção, Ray Bradbury em seu livro "Fahrenheit 451" imagina o extermínio dos livros (o título é a temperatura em que se queimam papeis), e a solução poetica que propõe na ficcção é o nascimento dos Homens Livro. Aqueles que iriam decorar o texto integral de um livro e passaria o conhecimento para herdeiros ao longo dos anos, até que caísse o regime totalitarista. O responsável passaria a ser conhecido pelo título do livro. Já pensou? Sou o Retrato de Dorian Gray, muito prazer...
A Feira do Livro de Frankfurt trouxe uma previsão de que até 2018, a venda de livros digitais supere o tradicional livro de papel. (veja esse outro filme). Acreditamos realmente que a impressão de jornais e revistas seja drasticamente diminuida ou extinta, o que fará muito bem para nossas florestas.
Quando tiver oportunidade certamente terei um Kindle, mas jamais renunciarei ao prazer indescritível que é abrir um livro e por meio dele viajar, voar pra longe e me libertar...

3 comentários:

  1. Eu sempre fui adepto dos livros impressos. Até que, contra a minha vontade, minha mulher me deu um kindle...(longe de mim o merchandising). As vantagens sobre o livro impresso são imensas. Primeiro, que vc carrega uma biblioteca e não apenas um livro...depois, sim, vc ajusta o tamanho das letras e ....a luminosidade!
    Então vc pode ler em qualquer local, sem incomodar ninguém... Ele abre direitinho na ultima pagina que vc parou. Ahhhh, quero relembrar um pouco o que já li? E´tão facil quanto manusear um livro...e vc é informado de quanto tempo falta para terminar a leitura, no seu ritmo...de repente aparece uma palavra que vc não tem certeza do significado...é só seleciona-la que aparece a explicação e se ainda não estiver contente, vc pode acessar diretamente o wikipedia....e vc pode grifar textos, fazer anotações e compartilhar trechos nas redes sociais...a bateria, dura, dura....enfim, este é meu depoimento de um leitor voraz de livros impressos que foi conquistado ao primeiro contato pelo digital....ahhh, tem mais, se vc quiser pode baixar seus próprios textos, trabalhos ou mesmo alguns dos milhares livros que são disponibilizados gratuitamente na rede ou mesmo trocar com amigos....como vc pode imaginar, não largo o meu kindle....PS : TEM A FUNÇÃO LOCALIZAR, aplicável ao livro que vc está lendo ou em toda sua biblioteca.... Vale muito mais do que pesa, pois ele é bem leve rsrsrs. Eu diria que sua utilidade é como o celular, algumas pessoas ainda não o portam, mas a maioria já não VIVE SEM ÊLE...rsrs

    ResponderExcluir
  2. Que legal seu depoimento sobre o equipamento, eu mesma não o tenho mas imaginava algo bem assim... Meu apego em relação aos livros no entanto não me permitiria jamais me afastar deles, os impressos, de preferência surradinhos com cheiro de tempo e muitos rabiscos históricos.

    Em alguns inclusive desenho personagens de acordo com minha imaginação, e tomar nota das palavras que desconheço é um exercício de enriquecimento de vocabulário.

    Embora as ferramentas enriqueçam a experiência, concordando com Pedro Bandeira, a busca pela palavra desconhecida, a exemplo é enriquecedora em minha opinião como forma de fixação, seja no delicioso dicionário impresso ou no eficiente e inteligente Priberam.

    Acho que ter um Kindle como disse no texto é algo a se almejar, mas pretender a superação dos livros impressos para mim, se fosse obrigada seria uma dolorosa sensação de vazio e abandono.

    Se você tiver livros impressos aí te incomodando, despache pra cá! Serão bem preservados, adorados e eventualmente devorados.

    ResponderExcluir
  3. Não se preocupe, pois o afastamento não será 100% . Muitos livros ainda não são oferecidos no formado digital. Eu mesmo tenho alguns esperando pacientemente por mim na minha estante. Sou de opinião que livro deve circular, se bem que tenho alguns "tesouros" dos quais não me separo.
    Enfim, dá sim para juntar as duas opções e sairmos muito bem servidos..

    ResponderExcluir